Posts com a Tag ‘português’

janeiro 2nd, 2010

Entenda o que é Lingua Franca

Lingua franca (sem acento no ‘i’) é uma expressão latina para língua de contato ou língua de relação resultante do contato e comunicação entre grupos ou membros de grupos linguisticamente distintos para o comércio internacional e outras interações mais extensas.

No Império Romano e no milênio seguinte a lingua franca foi o grego no oriente e o Latim no ocidente.

Posteriormente, uma lingua franca usada na região do Mar Mediterrâneo do século XIV (ou mesmo antes) até hoje era conhecida pelos marinheiros mediterrâneos, incluindo os portugueses.

O português serviu de lingua franca na África e Ásia nos séculos XV e XVI. Quando os portugueses começaram a explorar os mares da África, América, Ásia e Oceania, tentaram se comunicar com os nativos misturando uma versão da lingua franca influenciada pelo português com as línguas locais. Quando navios ingleses e franceses chegaram para competir com os portugueses, a tripulação tentou aprender esse “Português quebrado”. Através de sucessivas mudanças ao longo do tempo, a lingua franca, junto com o vocabulário português, foi substituída pela língua dos povos em questão.

O francês serviu de lingua franca em seguida, sendo a língua da diplomacia na Europa a partir do século XVII; ainda é a língua de trabalho de instituições internacionais, usada em documentos vários, desde passaportes até formulários do correio aéreo.

Na maior parte da Ásia, África e partes da Oceania e Europa o árabe foi lingua franca desde o século VII, sendo utilizado desde as Filipinas até o Senegal.

O alemão serviu de lingua franca em grande parte da Europa durante os séculos XIX e XX, especialmente em negócios.

O inglês é a lingua franca atual no mundo dos negócios internacionais no ocidente e na diplomacia.

Em outras regiões do mundo, outras línguas têm o papel de lingua franca : KiSwahili na África oriental, russo nas regiões da antiga União Soviética, Hindi (junto com o inglês) na Índia, Urdu no Paquistão (também junto com o inglês), malaio no sudeste asiático, Bislama nas ilhas do Pacífico, o árabe (falado por 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo e muito utilizado ainda no comércio) e várias línguas crioulas em outros lugares e épocas.

O Chinês Mandarim também tem a função de prover uma língua falada comum entre os chineses que falam diversos dialetos ininteligíveis entre si.

O japonês é a lingua franca do Japão, usada no cotidiano e na tecnologia.

dezembro 14th, 2009

Enquanto isso, do outro lado do Atlântico…

Dez mil quilômetros de distância são reduzidos a poucos centímetros graças ao Skype que permite com que eu e minha aluna holandesa possamos nos encontrar duas vezes por semana.

Joke faz questão de visitar o Brasil uma vez por ano para visitar seus primos em Piracicaba e claro, fugir do inverno holandês.

Há dois meses, ela tem se dedicado à língua portuguesa para mergulhar na nossa cultura. Em fevereiro, terei o prazer de recebê-la para termos aulas presenciais até seu retorno em março.

Enquanto isso do outro lado do Atlântico, Joke tem aula de português na companhia de seu gato Witse que prefere ficar em cima da mesa se aquecendo com o calor da lâmpada ao invés de suportar um frio de seis graus negativos do lado de fora.

witse

witse 2

RSS 2.0 feed.

Tags: , , ,
Categorias: Alunos, Posts

dezembro 12th, 2009

Aluno holandês conta como foi sua experiência no Brasil

Chris Mangnus tem 24 anos, é holandês e está no Brasil desde setembro para realizar um estágio na ESALQ até dezembro de 2009.  Durante este tempo, Chris fez um curso intensivo de português comigo. Aproveito a oportunidade para entrevistá-lo e saber mais sobre sua experiência no Brasil, como foi sua relação com os brasileiros e a língua portuguesa.

chris

Galaor: Por favor, fale um pouco de você e do seu país.

Chris: Eu estudo na Universidade de Wageningen na Holanda, no curso de Gerenciamento e Marketing. Fui convidado pelo Prof. Dr. Peter Zuurbier para realizar este estágio. Gosto de futebol como os brasileiros, especialmente dos times holandeses. No Brasil eu aprendi a gostar do São Paulo.

Galaor: Como foi sua experiência no Brasil? Que língua você mais falou, inglês ou português?

Chris: Apesar de saber que eu tinha que aprender português, conversei mais em inglês. Aprendi muito sobre a cultura brasileira e a língua, especialmente quando comecei a morar em uma república de alunos da ESALQ. Começar foi difícil por causa do sotaque, gírias e expressões. Três meses depois, percebo que cada vez mais entendo a língua.

Galaor: Sabemos que a maioria das pessoas fala inglês na Holanda. Você acredita que seja possível viver no Brasil sem falar português, assim como é possível viver na Holanda sem falar holandês?

Chris: Acho que não. Os brasileiros são muito acolhedores, mas falar a língua é essencial para entrar em contato com a cultura. Diferentemente da Holanda, a maior parte das pessoas não fala inglês, o que me força a falar português. As pessoas que falam inglês são um pouco tímidas para falar, pois têm medo de errar.

Galaor: Qual é a maior diferença entre brasileiros e holandeses?

Chris: A Holanda é muito pequena e por isso temos que olhar para o mundo inteiro. Temos que falar outras línguas e aqui no Brasil, um país incrivelmente grande, as pessoas não têm que se preocupar em falar outras línguas ou ficar dependentes de outros países. As pessoas no Brasil gostam de tempo frio e na Holanda as pessoas gostam de calor.

Galaor: Como as aulas de português lhe ajudaram no dia a dia?

Chris: Eu aprendi vocabulário, conjugação de verbos e conversação. Foi muito importante colocar as coisas que eu aprendi nas aulas na prática. Percebi que as pessoas ficam muito confusas se eu erro na conjugação de um verbo. Infelizmente eu vou embora em janeiro, é pena que não possa ficar para melhorar meu português. Infelizmente as pessoas não corrigem meus erros, eu sou corrigido apenas em sala de aula.

Galaor: O que foi mais difícil?

Chris: Nada foi difícil, mas foi um desafio aprender a língua. No começo eu queria dizer coisas simples em português, mas não conseguia.

Galaor: O que você achou de Piracicaba?

Chris: Uma cidade grande comparada a cidades holandesas. Muito tranquila.

Galaor: Do que você mais sentirá falta?

Chris: Do clima e dos brasileiros gentis.

Chris foi uma de minhas experiências no ensino de português para estrangeiros.

Você é brasileiro e já conversou com alguém de outro país?

Deixe seu comentário!